segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Feliz Natal e um 2010 de sucesso

Caros amigos e leitores

Chegamos ao fim de 2009, um ano difícil para muitos e que ficará marcado pelo efeitos da Crise Econômica Global.


Para nossa felicidade, a crise que abalou grandes potências foi enfrentada com sucesso pelo Brasil. Podemos comemorar o retorno dos índices positivos de crescimento da economia, a manutenção do controle da inflação e a estabilidade do câmbio.

Quem diria que a principal recomendação aos brasileiros dada recentemente pelo prêmio Nobel de Economia em 2008, Paul Krugman, seria conter o “otimismo exagerado do mercado”!

Nós do Escritório Virtual Espaço 2D, como bons brasileiros, continuamos otimistas. Este ano seguimos ampliando nossa carteira de clientes (aumento de 45 %) e nossa receita.

Pelo que constatamos, também nossos clientes souberam aproveitar as vantagens competitivas proporcionadas pelos serviços de escritórios virtuais para contornar a crise e conduzir seus negócios com sucesso.

Desejo um Feliz Natal e um Ano Novo de sucesso, saúde e conquistas, aos clientes do Escritório Virtual Espaço 2D, à nossa equipe, aos nossos fornecedores e a todos os leitores deste blog.


quinta-feira, 26 de novembro de 2009

O Globo cria blog “Espaço do Empreendedor”

Mais um espaço para discussão do empreendedorismo: o blog “Espaço do Empreendedor”, no website do Jornal O Globo.

Confiram: http://oglobo.globo.com/blogs/espempreendedor/

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

PEGN: Os Escritórios Virtuais estão em alta

Os Escritórios virtuais estão em alta” é a chamada do site da Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios.

O artigo, intitulado “De volta para casa” (da seção Como Fazer Melhor) mostra exemplos de empresas que usaram escritórios virtuais para cortar custos e enfrentar a crise econômica. Embora as empresas apresentadas no artigo sejam de São Paulo, os escritórios virtuais estão espalhados por todo o país.

No Rio de Janeiro, o Escritório Virtual Espaço 2D tem planos em conta para aqueles que desejam reduzir seus custos e aumentar sua competitividade no mercado.

Veja aqui mesmo no Espaço 2Blog nosso post intitulado PEGN discute os Escritórios Virtuais que comenta um vídeo de reportagem exibida no programa de TV.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Rio de Janeiro é a sede das Olimpíadas de 2016


Após momentos de emoção durante as apresentações de cada cidade e a votação que eliminou sucessivamente Chicago, Tóquio e Madrid, o Rio de Janeiro foi a cidade escolhida para sediar os Jogos Olímpicos de 2016.

A cerimônia de escolha da sede, realizada em Copenhague, Dinamarca, terminou com o anúncio da cidade vencedora, para felicidade dos cariocas e brasileiros de todo o mundo.

A vitória indiscutível (na última votação, o Rio derrotou Madrid por 66 votos a 32) torna-se ainda mais significativa frente às qualidades das cidades concorrentes.

Como não se vê há muito tempo, as boas notícias se acumulam para o Rio e para o Brasil: investimentos para o Pré-Sal, Copa do Mundo de Futebol (2014) e, agora, os Jogos Olímpicos!

Vocês já pensaram nos negócios e oportunidades que nos aguardam nesses próximos anos? Melhor começar a trabalhar desde já! E, para isso, os escritórios virtuais estão à disposição como modelo de negócios inteligente e eficiente para todos os empreendedores.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Brasil é o primeiro país elevado a grau de investimento depois da crise

Nesta terça-feira, dia 22, a agência de classificação de risco Moody's elevou a nota atribuída à dívida do governo brasileiro. A nota subiu de Ba1 para Baa3, primeiro estágio na faixa considerada grau de investimento.

A Moody’s se soma à Standard&Poor's e à Fitch Ratings, que elevaram a nota brasileira para grau de investimento no primeiro semestre de 2008.

Mais importante, o Brasil é o primeiro país elevado a grau de investimento depois da crise, demonstrando a consistência da economia brasileira frente aos países desenvolvidos e emergentes, a maioria dos quais ainda imersa nas conseqüências da crise financeira global.

Veja mais no site da BBC Brasil: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2009/09/090922_moodys_bg_ac.shtml

O Espaço 2Blog tem acompanhado esse tema desde o primeiro “Investment Grade”, concedido pela agência Standard & Poor's em maio de 2008 (relembre).

Para você que já pensa em voltar a investir ou retomar aquela idéia de um novo negócio, aproveite para avaliar os benefícios que um escritório virtual pode lhe trazer.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Rio de Janeiro: a cidade mais feliz do mundo, segundo a Forbes

A Forbes Magazine, revista de negócios responsável pelo conhecido ranking anual das Maiores Fortunas, colocou o Rio de Janeiro no topo de sua lista das Cidades Mais Felizes do Mundo.

As belas paisagens e o povo festivo foram lembrados pela revista, que destaca o Carnaval como símbolo da imagem de felicidade que a cidade transpira para os visitantes.

Ao ser considerada a cidade mais feliz do mundo, O Rio desbancou metrópoles respeitáveis, como Madrid (6ª), Roma (8ª) e Paris (9ª).

A lista, que conta com 50 cidades, traz em segundo lugar Sydney, seguida de Barcelona, Amsterdam e Melbourne. Na América do Sul, a cidade melhor colocada após o Rio foi Buenos Aires, em décimo lugar.

Veja a notícia no site da Forbes: http://www.forbes.com/2009/09/02/worlds-happiest-cities-lifestyle-cities.html.

O Escritório Virtual Espaço 2D tem o privilégio de oferecer seus serviços na Zona Sul da Cidade Maravilhosa, próximo aos pontos turísticos que tanto impressionam os visitantes.

Seja você um feliz carioca ou um visitante com negócios no Rio, o Escritório Virtual Espaço 2D tem serviços e instalações ao seu dispor, para tornar seu trabalho ainda mais produtivo.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Espaço 2D no Twitter

Estamos agora também no Twitter!

Se você quer continuar a se manter atualizado sobre os escritórios virtuais e as vantagens que essa solução pode trazer para sua empresa, siga nossos comentários sobre negócios e empreendedorismo.

Você ficará também a par em tempo real com as novidades do Escritório Virtual Espaço 2D.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

PEGN discute os Escritórios Virtuais

video

O programa Pequenas Empresas, Grandes Negócios, veiculado pela Rede Globo, é bastante conhecido do público interessado em empreendedorismo.

Hoje aproveitarei uma reportagem de PEGN sobre os escritórios virtuais, veiculada em 30/01/09, para apresentar depoimentos de usuários desse modelo de negócios.

Fiz aqui uma edição do programa, mantendo as entrevistas com dois empresários que optaram pela contratação de um escritório virtual. Vale a pena conhecer a experiência de ambos, pois resume situações bastante comuns a pequenos empresários e já discutidas em nosso blog, bem como em artigos publicados no site do Escritório Virtual Espaço 2D.

O vídeo editado tem apenas 3 minutos ― assista!

Escritórios virtuais x Escritórios próprios

A primeira entrevista, com o empresário Eduardo Figueiredo, mostra as vantagens que um escritório virtual pode proporcionar a quem tem (ou planeja ter) um escritório próprio. No caso de Figueiredo, foi possível obter economias da ordem de R$ 16 mil mensais, dinheiro que pode ser canalizado para atividades mais produtivas, como contratação de pessoal e aquisição de software.

Esse conceito já foi discutido no Espaço2Blog: veja o post Fugindo do Escritório Próprio.

Escritórios virtuais para atividades sazonais

A segunda entrevista, com o empresário do setor de treinamentos Miguel di Monte, exemplifica como trabalhos de caráter sazonal podem se beneficiar com a flexibilidade dos escritórios virtuais: é possível diminuir e aumentar a estrutura sempre que necessário, pagando apenas pelo que se usa.

Além disso, como lembra di Monte, o fato de não ter que se preocupar com aspectos administrativos ― tais como compra de equipamentos de apoio e preparação de locais para entrevistas e treinamentos ― lhe permitiu ganhar mais agilidade, mantendo o foco em seu próprio negócio.

Sobre o mesmo tema, veja também o artigo Escritórios Virtuais para serviços temporários ou eventuais.

Para o vídeo completo (duração 6m33s) clique aqui.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Fila de espera para escritório no Rio

Novamente o jornal O Globo é nossa fonte de discussão. No dia 22/07/09, o jornal publicou, na seção Economia, artigo sobre o aquecimento no mercado carioca de aluguel de escritórios.

Este é um tema recorrente na imprensa e foi alvo de reportagem no mês anterior, comentada em nosso post Aluguel é um bom negócio. Para quem?.

Crise? Que crise?

Aqui o assunto é retomado enfatizando que, a despeito da crise e da tendência no resto do país, os imóveis comerciais no Rio de Janeiro se valorizaram:

O preço médio do metro quadrado avançou 2,5 % no segundo trimestre deste ano, em comparação com o primeiro, e atingiu o valor de R$ 87,27 ― o maior entre as principais capitais do país. No mesmo período, a média nacional registrou um recuo de 0,92%.

A reportagem segue com um dado interessante:

Além disso, a escassez de imóveis de alto padrão para abrigar empresas faz com que haja fila de espera de investidores.

Além dos brasileiros, investidores norteamericanos e europeus, insatisfeitos com o desempenho do mercado imobiliário em seus países, estariam entre os maiores interessados em imóveis cariocas.

Escritórios classe A

A pesquisa se refere aos chamados “escritórios classe A” ― aqueles situados em locais atraentes e dispondo de confortos tecnológicos. É sabido que no Rio de Janeiro, onde a idade média dos imóveis é elevada e são poucos os espaços disponíveis para novas construções, não há muitos escritórios desse tipo no Centro e Zona Sul, onde se concentra a atividade econômica da cidade. Essa escassez acaba puxando os preços.

Saindo da fila

Isso quer dizer, então, que não há alternativa? Como sabem aqueles que acompanham este espaço, é claro que há! Afinal, os escritórios virtuais, presentes nas principais capitais do mundo, são também encontrados no Rio de Janeiro.

E se a preocupação é com “escritórios classe A”, lembro mais uma vez que o Escritório Virtual Espaço 2D dispõe de salas mobiliadas e decoradas para uso imediato, com ar-condicionado central, telefone e internet em banda larga, em prédio de alto padrão com garagem privativa, na Zona Sul do Rio de Janeiro. E o que é melhor: com contratos flexíveis para cada necessidade.

Portanto, se você está analisando o aluguel de “escritório classe A”, saia da fila! Entre em contato conosco e conheça nossos planos e preços.

terça-feira, 30 de junho de 2009

Aluguel é um bom negócio. Para quem?

O jornal O Globo, em sua edição de domingo, 28/06/09 apresenta, no suplemento Morar Bem, reportagem comentando sobre a vantagem de investir em imóveis para aluguel, diante da queda da taxa de juros e consequente redução do retorno de fundos de investimento.

Vantagem para quem?

Obviamente, a vantagem de que fala o texto é para os proprietários que, nas contas apresentadas pelos especialistas entrevistados, podem obter com o aluguel, em 24 meses, até o dobro do que conseguiriam investindo o valor do imóvel em papéis de renda fixa.

Isso significa, em contrapartida, que os locatários deixarão de usufruir dos benefícios dos tempos de juros elevados, quando valia a pena pagar aluguel e aplicar no mercado financeiro o valor equivalente do imóvel.

Imóveis comerciais

Ainda segundo a reportagem, proprietários de imóveis comerciais teriam retornos ainda maiores, pois neste segmento a rentabilidade costuma superar a do aluguel de unidades residenciais ― notadamente na cidade do Rio de Janeiro:

A compra de imóveis para alugar tem crescido especialmente no segmento de salas comerciais, no qual a rentabilidade é maior (...). E a tendência é que, no Rio de Janeiro, os aluguéis fiquem mais caros, já que cresce o número de empresas querendo se instalar na cidade.

― É uma questão de oferta e procura. Há muito mais imóveis residenciais disponíveis que comerciais, principalmente os de alto padrão, com tecnologia e infraestrutura ― avalia o presidente da Patrimóvel, Rubem Vasconcelos.

Diga-se de passagem que esta observação não é nova: o mesmo suplemento Morar Bem já havia, há cerca de dois anos, noticiado a falta de imóveis de alto padrão no Rio de Janeiro, assunto comentado em meu post Procurando um imóvel comercial de alto padrão.

Vamos então às compras?

Se você concluiu que é hora de comprar uma sala comercial para seu negócio, pense duas vezes. Os especialistas em empreendedorismo afirmam que, na maioria dos casos, comprar não só é um mau negócio como é um erro comum do empreendedor. Isso porque ao comprar um imóvel, deixa-se de usar aquele valor em compra de matéria-prima, marketing, treinamento e outras ações que poderiam aumentar o resultado da empresa. O capital “imobilizado” no imóvel pode imobilizar e empresa, pela falta de liquidez para tocar os negócios.

Já tratamos desse assunto no post Fugindo do Escritório Próprio, com direito a vídeo do Sebrae (vale a pena ver!).

Para piorar, imóveis “de alto padrão, com tecnologia e infraestrutura” são mais raros e, portanto, muito mais caros. E ninguém quer abdicar de um espaço com acesso à internet em banda larga, ar-condicionado, elevadores modernos, garagem no próprio prédio...

Então, qual a solução?

Então, qual a melhor maneira de investir em sua empresa, consultório, ou atividade profissional? Comprar uma sala comercial e correr o risco de ficar sem fôlego financeiro para os momentos de vacas magras, ou alugar um espaço e se sujeitar a custos crescentes de aluguel e condomínio?

A solução pode estar na contratação de um escritório virtual. Pagando apenas pelo que irá usar, o empreendedor terá acesso a salas mobiliadas e decoradas, com ar-condicionado, telefone e internet, e ainda poderá contar com atendimento telefônico, endereço comercial de prestígio, apoio administrativo e muito mais.

Consulte o website do Escritório Virtual Espaço 2D e comece a conhecer os benefícios que os escritórios virtuais podem trazer para os seus negócios.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Escritórios Virtuais ao redor do mundo (2): Estocolmo

O arquipélago de 14 ilhas interligadas por uma teia de 53 pontes marca não apenas o encontro do lago Mälaren (pronuncia-se “Mêlaren”) com o mar Báltico. Ali está situado um centro comercial com mais de 700 anos de história, que hoje é a sede do governo sueco e uma das cidades mais dinâmicas da Europa.

A privilegiada localização fez de Estocolmo um ponto estratégico (o nome da cidade significa “Ilha Fortificada”) desde os tempos medievais. A zelosa política de seus governantes e o trabalho diligente da população tornou-a um importante centro econômico e uma das cidades com melhor qualidade de vida no mundo.

Uma visita a Estocolmo ― com suas ruas limpas, belos parques, povo ordeiro e eficiente infraestrutura urbana ― confirma o estereótipo que todos temos das sociedades nórdicas. As inúmeras embarcações circulando ou simplesmente ancoradas às margens do Mälaren nos lembram o profundo vínculo que esses descendentes dos vikings mantêm com o mar: o sueco típico tem uma casa, um carro e um barco.

Como toda a cidade portuária, Estocolmo é aberta para o novo. Isso se reflete na intensa atividade cultural (são mais de uma centena de museus, além de teatros, cinemas e duas óperas) e no interesse científico (além das várias universidades, não nos esqueçamos que aqui é a sede da Fundação Nobel e local de entrega de seus famosos prêmios).

Embora tenha estado na cidade em viagem profissional, não pude deixar de notar seu apelo turístico. Estocolmo, entretanto, equilibra eficientemente o turismo e os negócios. Os prédios históricos e belas paisagens convivem com uma atividade frenética, responsável por 1/3 do PIB da Suécia.

Escritórios virtuais em Estocolmo

Estocolmo é a sede da maior parte das empresas suecas, algumas das quais estão entre as maiores do mundo: ABB (equipamentos), Ericsson (telecomunicações), Electrolux (eletrodomésticos), H&M (vestuário), Scania (veículos pesados) e Volvo (veículos) são alguns exemplos.

Se juntarmos esses gigantes industriais a um forte centro financeiro e à vocação comercial da cidade, teremos uma noção da intensa atividade econômica que permeia a aparente tranquilidade desta metrópole escandinava.

Assim, não é de se estranhar que Estocolmo abrigue diversos escritórios virtuais. Uma caminhada pelos arredores da Sergels Torg e Sergelgatan (v. foto), no coração comercial da cidade, permite que encontremos diversos deles. São exemplos o City Office World Trade Center e o Drottninggatan Serviced Office que, entre outras vantagens, oferecem rápido acesso ao sistema público de transporte ― uma facilidade de grande valor nas metrópoles européias, onde é raro (e caro!) locomover-se com carros particulares no centro urbano.

Os clientes do Escritório Virtual Espaço 2D também conhecem a conveniência de se ter uma estação de metrô, pontos de ônibus e táxi nas proximidades. Seja no calor tropical ou no frio escandinavo, os escritórios virtuais são uma solução inteligente para grandes, médias e pequenas empresas que compartilhem a busca pela flexibilidade e baixos custos em seus negócios.

Se você se interessou pelo tema, leia também nosso post Escritórios Virtuais ao redor do mundo (1): Londres.

sábado, 25 de abril de 2009

Fugindo do Escritório Próprio

video

Nada melhor para dar segurança aos seus negócios e transmitir uma imagem de solidez e confiabilidade aos seus clientes do que adquirir um imóvel para a sua empresa, certo?

Errado, afirmam os especialistas. Na verdade, ao usar parte do capital para comprar um imóvel, o empreendedor acaba prejudicando a capacidade de crescimento da empresa. Dependendo da “crise de liquidez” decorrente pode, até mesmo, inviabilizá-la.

Afinal, como bem lembram os economistas: “os recursos são finitos”. Ao comprar um imóvel, o empreendedor deixa de usar aquele valor em compra de matéria-prima, marketing, treinamento e outras ações que poderiam aumentar o resultado da empresa.

Não por acaso imóveis são classificados no Balanço Patrimonial como “Ativo Imobilizado”: imobilizado fica, de fato, o capital ali investido. O risco é que toda a empresa acabe se “imobilizando” devido ao pouco fôlego financeiro para as atividades do dia-a-dia.

Neste vídeo do SEBRAE (clique aqui para ir para a página original onde o vídeo foi postado) o consultor Wlamir Bello, do SEBRAE/SP, analisa o caso real de uma empresa do ramo farmacêutico, mas as conclusões podem ser estendidas para empreendimentos de qualquer ramo de negócios.

“Comprar ou alugar?” é a pergunta, cuja resposta não deixa dúvidas: “[Comprar] não só é um mau negócio como é um erro comum do empreendedor”, afirma o consultor, que credita a percepção de “tranquilidade” conferida por uma sede própria ao “sonho da casa própria”, válido na vida pessoal, porém equivocado quando trazido para o mundo dos negócios.

A este equívoco poderíamos acrescentar a busca pelo “status” teoricamente proporcionado pelo “bem próprio”. Afinal, um bom imóvel alugado (em um endereço de prestígio) pode conferir mais “status” do que um imóvel próprio cujas condições e localização sejam apenas regulares.

A sede própria, além de consumir liquidez, também “imobiliza” o investidor naquele local físico. O aluguel, por outro lado, confere maior flexibilidade, permitindo ao empresário mover-se rapidamente caso sua estratégia assim exija.

Isso posto, fica claro que um Escritório Virtual pode ser uma excelente opção, pois acrescenta às vantagens do aluguel convencional a maior celeridade e baixo custo: não apenas o imóvel, mas boa parte da infraestrutura necessária à operação do negócio pode ser contratada rapidamente e a valores acessíveis.

Lembre-se: para o cliente, não importa se as instalações da empresa são próprias ou de terceiros. O que ele quer é bom atendimento, serviço e/ou produtos de qualidade e preços competitivos.

Assim, esteja você abrindo uma nova empresa ou expandindo um negócio já estabelecido, vale a pena considerar os benefícios proporcionados por um escritório virtual.

Consulte a página do Escritório Virtual Espaço 2D para saber mais sobre essa solução de negócios.

Fonte: Negócios e Soluções: comprar ou alugar? (Visão do Empreendedor - SEBRAE/RJ)

domingo, 15 de março de 2009

Escritórios Virtuais na Revista Windows Vista

Fico satisfeito quando percebo que, cada vez mais, o conceito de escritórios virtuais ― já familiar entre empresários, executivos de grandes empresas e profissionais liberais ― chega ao grande público.

A divulgação dos escritórios virtuais na mídia tradicional já foi tema de outros posts deste blog (v., por exemplo, Revista Veja e Jornal O Globo). Recentemente, também a Revista Oficial do Windows Vista apresentou, em sua edição de Outubro de 2008, interessante artigo comparando três modelos de escritórios: doméstico, virtual e móvel.

O artigo “Os diferentes escritórios da era da mobilidade”, de autoria da especialista em comunicação móvel Bia Kunze, apresenta um resumo dos três tipos de escritórios e suas vantagens, indicando as atividades que deles podem se beneficiar. Entre as empresas citadas no artigo está o Escritório Virtual Espaço 2D.

Apenas para lembrar (ou reiterar), já mostramos em outros posts e artigos que usuários de escritórios domésticos e escritórios móveis têm grandes vantagens em contratar um escritório virtual.

Com ajuda de outros meios de comunicação, seguiremos divulgando os benefícios que um escritório virtual pode trazer para empresas e profissionais que buscam maior eficiência e qualidade para seus serviços.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Escritórios Virtuais ao redor do mundo (1): Londres

Imponentes edificações com séculos de história, lado a lado com prédios ultramodernos. Tráfego pesado onde quase não se ouvem buzinas. Museus às dezenas, com acervos de incalculável valor, disponíveis à visitação gratuita. Belíssimos parques abertos o ano inteiro, ainda que sejam raros os dias de sol e calor. Pelas ruas movimentadas do centro, turistas ao celular param para fotos ao lado das tradicionais cabines telefônicas vermelhas.

Das cidades que conheço, Londres é aquela que considero ter conseguido o melhor equilíbrio entre tradição e modernidade. Possui todas as vantagens de uma metrópole (oportunidades econômicas, vida cultural intensa, conforto), sem perder o controle sobre os problemas típicos dos grandes centros urbanos (segurança, habitação, poluição).

Os motoristas estão (ainda) entre os mais educados do mundo. O metrô centenário, apesar de suas linhas volta e meia interrompidas para obras, ainda é um meio de transporte prático e eficiente. Os pontos turísticos, limpos e bem sinalizados, são encontrados sem problemas mesmo pelo visitante avesso ao idioma de Shakespeare.

A paranóia do terrorismo parece ceder pouco a pouco. Hoje, o grande inimigo dos ingleses é a crise econômica global.

Estive em Londres recentemente, na virada de Setembro para Outubro de 2008, exatamente quando as primeiras ondas de choque originadas da crise das hipotecas subprime norteamericanas abatiam as Bolsas do mundo inteiro e alguns (até então) insuspeitos ícones do setor financeiro.

Apenas duas semanas antes, houvera a maior corrida bancária na Inglaterra em um século, quando correntistas do Northern Rock (então o quinto maior financiador de hipotecas na Grã Bretanha) sacaram 1 bilhão de libras em apenas um dia. A crise estava nas capas dos tablóides, nos programas de entrevistas da TV e até ― como pude presenciar ― em “cacos” inseridos pelos atores das peças teatrais do West End, no mais puro estilo de humor britânico.

Não obstante, a cidade continuava com seu movimento tradicional, com turistas enfileirados para uma volta na London Eye, estudantes circulando pela exposição da vez na Tate Modern, moradores se abastecendo nos mercados e feiras... A Londres milenar e pragmática, que enfrentou as invasões vikings, a Peste Negra e os bombardeios nazistas, não se deixaria impressionar por mais uma crise.

Escritórios virtuais em Londres

Centro econômico mundial durante séculos e ainda hoje referência no mercado financeiro global através das diversas instituições instaladas na área central da cidade conhecida como “The City“, Londres possui, como não poderia deixar de ser, dezenas de escritórios virtuais. Em sua maior parte, podem ser encontrados no polígono financeiro-comercial que se inicia a leste do Hyde Park (Oxford Street), limitado ao norte pela linha Northern do metro e ao sul pelo rio Tâmisa, passando pelos arranha-céus da “City” e terminando a oeste da Tower Bridge.

Um desses escritórios virtuais é o Avanta Serviced Office, situado no número 10 da Margaret Street. Considerando que a rua está a apenas dois quarteirões das frenéticas Oxford Street e Regent Street ― pelas quais turistas apressados com suas bolsas de compras dividem o (exíguo) espaço com não menos apressados londrinos a caminho do escritório ― este é um endereço surpreendentemente tranquilo.

O prédio de típicos tijolos vermelhos abriga salas mobiliadas e equipadas para reuniões. O preço (a partir de £ 20/hora) não inclui, entretanto, o tradicional chá com biscoitos, cobrados à parte...

Os serviços de escritório virtual, como atendimento telefônico e apoio administrativo também estão disponíveis, atendendo desde profissionais com escritórios domésticos e pequenas empresas até grandes organizações.

O Avanta possui outros endereços em Londres: em comum, todos oferecem instalações confortáveis e localização conveniente (próximo a estações do metrô, restaurantes e comércio). Afinal, uma das principais vantagens de um escritório virtual é proporcionar um endereço de prestígio e infraestrutura moderna a preços convidativos ― opinião certamente compartilhada pelos clientes do Escritório Virtual Espaço 2D.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Escritórios Virtuais ao redor do mundo (introdução)

Cada dia mais e mais pessoas em todo o mundo se dão conta de que os escritórios virtuais podem ser a solução de que necessitam para viabilizar, aprimorar ou ampliar seus negócios.

Como já escrevi antes (*), os escritórios virtuais são um fenômeno típico da economia global e suas vantagens não se limitam a certos mercados regionais ou situações específicas. Ao contrário, sua flexibilidade e praticidade se mantêm atrativas nos mais diversos ambientes de negócios.

Não é surpresa, portanto, que os escritórios virtuais estejam se multiplicando pelo planeta: da fervilhante Nova Iorque à surpreendente Kampala. Dos lagos gelados da Escandinávia às praias tropicais do Caribe. Por todo o lado, empresários e profissionais de diferentes culturas encontram nos escritórios virtuais uma alternativa inteligente para se pôr em vantagem frente à concorrência.

Para ilustrar esse fato, decidi publicar alguns posts com exemplos de escritórios virtuais em diferentes cidades do mundo. Sempre que possível, tentarei trazer para o texto um pouco das características de cada local - como se estivéssemos viajando juntos e conhecendo um pouco da cultura e do ambiente de negócios de cada país.

Espero que vocês se interessem e - por que não? - se divirtam também.

Breve enviarei o primeiro capítulo: Londres.

Até lá.

(*) Vejam no website do Escritório Virtual Espaço 2D a série de artigos “Escritórios Virtuais e Globalização” em http://www.espaco2d.com.br/artigos.htm.